Viedma

Viedma é considerada a porta de entrada para a Patagônia Argentina, pelo litoral. A cidade possui uma beleza natural indescritível e um forte traço das tradições do povo original da região, os Mapuches. Para mim, foi uma grande experiência de vida conhecer esta fantástica cidade através do ponto de vista de seus moradores locais. A cidade foi o oitavo destino escolhido para ser desbravado na segunda etapa do Projeto Desbravando as Américas. Estive pessoalmente em todos os atrativos turísticos descritos abaixo.

Vale ressaltar que as fotos foram tiradas através de uma camêra fotográfica Cannon, emprestada, e por um celular Iphone 4S.

  • A cidade de Viedma foi fundada no ano de 1779, por Francisco de Viedma y Narváez.
  • Viedma é a capital da Província de Río Negro.
  • A cidade foi colonizada por famílias espanholas humildes provenientes das regiões da Galícia e Leon.
  • Viedma é a cidade mais antiga, fundada por europeus, da região da Patagônia.
  • No ano de 1899, a cidade foi totalmente destruída por uma inundação, que levou a morte de inúmeros colonos e animais.
  • O Río negro, o maior rio da Patagônia Argentina, desemboca no Oceano Atlântico a 30km da cidade de Viedma.
  • O Río Negro é um dos poucos rios do mundo que pode ter a sua correntenza invertida por influência das marés.
  • O Basquete é o esporte mais praticado pelos moradores da cidade de Viedma. 

OBS: Serviço de Bordo gratuito no ônibus 🙂

  • Couchsurfing na casa do Daniel Velasquez. Experiência incrível, pois ele conhecia muito sobre a sua cidade e era um descendente direto do primiero povo a habitar a região, os Mapuches. Ao chegar em sua casa, ele me convidou para participar de uma marcha em protesto ao assassinato de um jovem, chamado Atahuaca, há oito anos e o caso ainda não havia sido resolvido. Graças ao Daniel e a sua família, eu tive a oportunidade única de participar de um ritual Mapuche de Ano Novo. 

Roteiro para 2 dias - O que fazer?

Dia 1:

Marcha Anual en Homenaje al Joven Atahualpa: marcha por justiça pela morte de um jovem mapuche chamado Atahualpa que havia sido encontrado morto brutalmente há alguns anos atrás e que as autoridades locais nunca haviam buscado os culpados pelo crime.

Grito de Guerra: Atahualpa presiente ahora y siempre!

Plaza San Martin: Construída depois das obras de urbanização da cidade, após a inundação de 1889, com o intuito de ser uma área de lazer para os moradores locais. A praça foi batizada em homenagem ao grande herói da independência argentina, o General San Martín, no qual foi instalada, no centro da praça, uma estátua do General montado em seu cavalo…

La Costanera: Localizada na margem direita do Rio Negro, trata-se de uma área de lazer arborizada que conta com uma ciclovia, pista para caminhada e locais abertos para piqueniques, que segundo os meus anfitriões, eram comuns durante o verão e a primavera…

Barco Hundido: No ano de 1881, o barco dinamarquês “El Condor”, que navegava pelas águas do Rio Negro, próximo a cidade de Viedma, naufragou após bater em uma pedra. Sua tripulação foi resgatada pelos moradores locais e hospedada na única pousada da cidade. Após o acidente, um dos sobreviventes, Peter Hassen Kruuse, apaixonou-se pela filha do dono da pousada, Maria Manuela Martensen, desistindo assim de regressar ao seu país de origem. Com o passar dos anos, o barco foi resgatado do fundo do rio e tornou-se um atrativo turístico e símbolo do amor inesperado entre o casal. Todos os anos na data do naufrágio, seus descendentes visitam a embarcação e jogam flores nas águas do rio simbolizando a felicidade daquela união. Atualmente, o barco encontra-se grafitado por artistas locais para proteger o seu casco dos efeitos da oxidação…

Río Negro: Considerado um dos mais importantes fluxos de água da Patagônia Argentina, sendo uma fronteira natural entre as províncias de Buenos Aires e Rio Negro. O rio possui 635 km de comprimento desde a sua nascente, na província de Neuquén, até a sua foz no Oceano Atlântico. Ao passar pela cidade de Viedma, o rio torna-se peculiar por ser um dos poucos do mundo que possuem maré alta e baixa. Este fato incomum se dá devido à proximidade da sua foz no oceano, que altera o nível de água desta parte do rio, podendo em alguns horários chegar a alterar o curso natural de suas águas…

Monumento a Evita Perón: Inaugurado no ano de 2007, como uma homenagem aos 65 anos do falecimento da mais importante figura política argentina, que era aclamada e amada por toda a nação…

Museo Casa de Los Rial: Situado no interior de uma casa construída há quase 200 anos, em uma encosta, pelo espanhol Don Juan José Rial, primeiro imigrante a se mudar com a sua família para aquela região. No ano de 1827, Don Juan tornou-se famoso ao proteger o pequeno povoado de Patagones contra a invasão do Império Brasileiro. No ano de 2003, a antiga casa foi declarada Monumento Histórico Nacional e atualmente abriga um museu contando a história dos primeiros colonos da região e oficinas de artesanatos que visam preservar a cultura local…

Aberto ao público de segunda a sábado das 10h às 12h e das 17h às 21h.

Entrada Gratuita 🙂

OBS: Este atrativo encontra-se na cidade de Carmen de Patagones.

Pasaje San Jose de Mayo: Inaugurada em 1859, com o objetivo de facilitar a circulação dos meios de transporte da época desde a parte alta da cidade até a margem do Rio Negro. No ano de 1930, a rua com elevada inclinação foi interditada pelas autoridades locais após um grave acidente que envolveu uma charrete desgovernada e duas crianças, resultando no falecimento de uma delas. No ano de 1962, o governo local decidiu reabrir a rua transformando-a em uma enorme escadaria, proibindo assim a passagem de veículos. No topo da escadaria, foram instalados dois canhões retirados do antigo Fuerte del Carmen que haviam sido utilizados durante a Batalha de Carmen de Patagones contra a invasão do Império Brasileiro no ano de 1827…

OBS: Este atrativo encontra-se na cidade de Carmen de Patagones.

Iglesia Parroquial Nuestra Señora del Carmen: Inaugurada em 1780, como a primeira igreja católica da cidade e da região conhecida como Patagônia Argentina. A igreja foi construída por Don Francisco de Viedma. No principio tratava-se de um pequeno nicho que abrigava uma imagem de Nuestra Señora del Carmen, no altar maior, e servia para a realização das missas dominicais. No ano de 1880, com o crescimento populacional da cidade, a igreja foi transferida para a sua atual localização ocupando as instalações do antigo Fuerte del Carmen que foram doadas ao município. O novo templo foi inaugurado em 1885, quando recebeu a imagem da santa padroeira da cidade e sete bandeiras brasileiras, capturadas no combate de 1827, que foram instaladas em um local privilegiado acima do altar. Ao decorrer dos anos, a igreja passou por inúmeras reformas, sendo a mais importante delas a construção de um mausoléu para guardar os restos mortais do General argentino Luis Pedra Buena e sua esposa. No ano de 2003, a igreja foi declarada Monumento Histórico Nacional devido a sua importância histórica…

OBS: Este atrativo encontra-se na cidade de Carmen del Patagones.

Viajante brasileiro em Viedma: Gabriel, natural do estado do Rio Grande do Sul e a sua namorada, Laura, natural da cidade de Viedma. Os dois se conheceram enquanto faziam um mochilão pela América do Sul e se apaixonaram perdidamente. 

Catedral Nuestra Señora de La Merced: Inaugurada em 1912, como a primeira igreja da Patagônia Argentina dirigida pela Ordem Salesiana da Igreja Católica Apostólica Romana. A igreja foi construída pelo arquiteto Don Antonio Petrarca. O templo religioso possui estilo arquitetônico renascentista italiano, com duas torres que podem ser vistas da cidade vizinha de Carmen de Patagones. Sua fachada destaca-se por possuir ladrilhos importados da Itália e colunas de mármore de ordem coríntia. No ano de 1935, a então paroquia, recebeu o título de Catedral com a nomeação do primeiro Bispo da província de Rio Negro e, no ano de 2000, foi declarada Patrimônio Histórico Nacional…

Centro Municipal de Cultura de Viedma: Inaugurado em 1969, com o objetivo de unificar em um só espaço a crescente cena cultural da região. No ano de 1973, o local sediou a histórica cerimônia que declarou a cidade de Viedma como capital da Província de Rio Negro. Atualmente, o Centro Cultural abriga diversas atividades artísticas, gratuitas para a população, salas de exposições, para divulgar obras de novos artistas locais, e um teatro para a exibição de peças nacionais e internacionais a preços populares…

Aberto ao público diariamente das 9h às 12h30min e das 16h às 19h30min.

Entrada Gratuita 🙂

Dia 2:

Playa El Condor: Localizada a apenas 30 km da cidade de Viedma, é considerada uma das praias mais bonitas da província de Rio Negro. Durante a temporada de verão, sua extensa faixa de areia recebe banhistas de diversas partes do país que buscam diversão nos inúmeros festivais de música que acontecem no local. Durante as outras estações do ano, a praia recebe atletas náuticos do kitesurf e windsurf que estão em busca do vento ideal para a prática destes esportes. O local também é um importante ponto de parada para inúmeras espécies de aves migratórias que estão fugindo do intenso frio do sul…

Colonia de Loros Barranqueros: Localizada a 3 km da Vila El Condor, é considerado a maior refúgio natural de loros barranqueiros do mundo, com cerca de 12 km de extensão. As aves, que são da mesma família dos papagaios brasileiros, constroem seus ninhos, com o bico, no imenso paredão de pedra de arenito para colocar seus ovos e cuidar de seus filhotes após o nascimento. Segundo estudos recentes, o local abriga mais de 180 mil aves desta espécie. Durante o século XIX, o famoso naturalista britânico Charles Darwin escreveu em seu diário de viagem sobre as incríveis aves coloridas e barulhentas que viviam em “pequenas cavernas” do litoral argentino. Atualmente, a espécie encontra-se em risco de extinção devido à caça e venda ilegais…

Faro el Condor: Inaugurado em 1887, é considerado o mais antigo farol continental em pleno funcionamento do território da Patagônia Argentina. Construído por Martín Rivadavia, Comodoro da Marinha Argentina, para sinalizar o ponto de entrada ao Rio Negro e garantir a segurança dos navios que circulavam pela costa, o farol possui uma estrutura cilíndrica de 16 metros de altura e um alcance luminoso de 16 milhas náuticas. Devido a sua localização, o imponente farol pode ser visto do mar tanto de dia quanto de noite…

Letrero de Viedma: Inaugurado em 2012, trata-se de um letreiro com o nome da cidade construído aos mesmos moldes do que existe na cidade de Montevideo, no Uruguai. Suas letras brancas, com aproximadamente dois metros de altura, são iluminadas ao anoitecer, recebendo durante eventos festivos coloração especial…

Monumento a La Mujer Original Mapuche:

Gastronomia:

Cerveza Artesanal Giilmet: 

Pizza Casera by Mailen:

Ficou curioso (a) para saber mais sobre o que aconteceu nesta incível aventura? Não perca tempo e adquira já um exemplar do Livro “Desbravando as Américas” com dicas  espetaculares e relatos pessoais do meu desbravamento rumo ao Alasca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *