Buenos Aires

Buenos Aires é uma cidade cosmopolita que durante a estação do inverno, transmite uma sensação única aos seus visitantes.  A cidade é repleta de belezas arquitetônicas e culturais, que nos faz sentir como se tivessêmos em uma cidade européia. Sua vida noturna é sempre animada e atrai viajantes de todas as partes do mundo. Considero uma parada obrigatória que deve constar no roteiro de todos os viajantes. A cidade foi o quinto destino escolhido para ser desbravado na segunda etapa do Projeto Desbravando as Américas. Estive pessoalmente em todos os atrativos turísticos descritos abaixo.

Vale ressaltar que as fotos foram tiradas através de uma camêra fotográfica Cannon, emprestada, e por um celular Iphone 4S.

  • A cidade de Buenos Aires, também conhecida como Ciudad Autonoma de Buenos Aires, foi fundada no ano de 1536.  
  • Buenos Aires é a Capital Federal da Argentina. 
  • A cidade está localizada na região Centro-leste da Argentina.
  • Buenos Aires é a cidade mais populosa do país. 
  • Devido a sua complexa influestrutura, Buenos aires é considera uma das mais importantes metrópoles do Continente Americano. 
  •  Buenos Aires foi declarada no ano de 2016 como a segunda cidade com a melhor qualidade de vida da América Latina. 
  • Por ser considerada uma cidade autonôma, Buenos Aires conta os  seus próprios poderes executivo, legislativo e judiciário. 
  • As pessoas que nascem na cidade de buenos Aires são chamadas de “porteños”.
  • No ano de 1888, a cidade foi atingida por um terremoto de magnitude 5.5 na Escala Richter.
  • No ano de 2007, Buenos Aires foi atinginda por uma nevasca, proveninente da região polar sul, que deixou grande parte da cidade coberta de neve. 
  • Segundo rankings internacionais, a Universidade de Buenos Aires é declarada como a melhor instituição de ensino superior da Iberoamérica e considerada uma das 100 melhores universidades do mundo. 
  • Hospedagem no  Milhouse Hostel Avenue. Consiederado o melhor hostel da cidade devido a excelência no atendimento e suas famosas festas. O hostel é o preferido dos viajantes brasileiros. O estabelecimento possui uma ótima localização e custo-benefício.  
  • Valor em junho de 2016: ARS 181,00 por noite em dormitório compartilhado.
  • Contato: Macarena (recepcionista e guia local)

Roteiro para 4 dias: O que fazer?

Dia 1:

Basílica de Nuestra Señora del Rosário: Foi construída em meados do século XVIII, em estilo neoclássico, pela Ordem Dominicana de origem européia. Em seu átrio encontra-se um Mausoléu com os restos mortais do General Manuel Belgrano, que por possuir divergências religiosas com a igreja católica da época não pode ser enterrado no interior da basílica. Outro fato curioso é a presença de bandeiras e estandartes britânicos, no interior da igreja, conquistados durantes as duas invasões inglesas à cidade de Buenos Aires. No ano de 1942, a basílica foi declarada Monumento Histórico Nacional…

OBS: Infelizmente a igreja estava fechada para visitações quando estive no local :/

Feira de San Telmo: Fundada em 1970, é considerada a mais famosa feira de rua da cidade, recebendo milhares de pessoas todos os domingos. Localizada inicialmente na Plaza Dorrego, teve o seu espaço estendido com o passar dos anos para as ruas do entorno devido ao grande número de visitantes. Atualmente a feira é considerada um passeio obrigatório para as pessoas que queiram conhecer o estilo de vida dos moradores do bairro mais boêmio de Buenos Aires. No local é possível encontrar antiguidades, pinturas, artesanatos, livros, roupas e souvenires que agradam a todos os gostos e bolsos…

Mercado de San Telmo: Inaugurado em 1897, com o objetivo de atender as necessidades dos imigrantes europeus recém-chegados a cidade, sua fachada possui estilo neoclássico italiano e permanece inalterada até os dias atuais. No ano de 2000, o Mercado foi declarado Monumento Histórico Nacional pela Secretaria de Cultura da Cidade de Buenos Aires…

Dia 2:

Mercado de Abasto: Foi inaugurado em 1893, para abastecer as necessidades básicas da crescente onda migratória de origem europeia, com verduras e frutas frescas vindas de bairros vizinhos. No local não era permitida a venda de carnes com o objetivo de evitar doenças. No ano de 1934, o local passou por reformas de ampliação ganhando uma nova fachada em estilo art déco com traços brutalistas. Em 1984, o tradicional estabelecimento encerrou as suas atividades devido a uma lei nacional que visava à criação de um Mercado Central único que monopolizava a venda de produtos alimentícios perecíveis. Em 1985, o edifício foi declarado Patrimônio Cultural da Cidade evitando assim a sua demolição. No ano de 1998, o local foi reaberto como um centro comercial sendo rebatizado como Abasto Shopping…

Aberto ao público todos os dias das 10h às 22h. 

Plaza de Las Naciones Unidas: Está foi criada em 1956, em homenagem a participação da Argentina como um dos membros fundadores do mais alto órgão internacional criado após o termino da Segunda Guerra Mundial, a Organização das Nações Unidas (ONU)…

Floralis Generica: Inaugurada em 2002, trata-se de uma escultura metálica de 23 metros de altura doada à cidade de Buenos Aires pelo renomeado arquiteto argentino Eduardo Catalano. Cercada por um espelho d’água, é considerada uma parada obrigatória para todos que visitam a cidade. Os melhores horários para visita-la são às 8 horas da manhã quando as seis pétalas da flor se abrem automaticamente, por um sistema elétrico, e ao anoitecer quando elas se fecham ampliando ainda mais a sua beleza…

Edificio de la Facultad de Derecho de Buenos Aires: Inaugurado em 1949, para ser sede do curso de direito da Universidade de Buenos Aires, foi construído em estilo neoclássico, com forte influência greco-romana relembrando os antigos templos dedicados aos Deuses. Atualmente é uma das faculdades mais concorridas do país possuindo mais de 3.000 alunos distribuídos em três cursos: Abogacía, Traductorado Público e Calígrafo Público. No local também são ministrados cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado…

Cementerio de la Recoleta: Este foi criado em 1822, como o primeiro cemitério da cidade de Buenos Aires. As primeiras pessoas a serem enterradas foram um jovem rapaz negro, liberto, chamado Juan Benito e uma jovem moça chamada Maria Dolores Maciel. No final da década de 1870, muitas famílias nobres se mudaram para o bairro fugindo da grande epidemia de Febre Amarela que assolava a região de San Telmo. No ano de 1881, iniciou-se um processo de expansão do cemitério com a construção de grandes mausoléus para o descanso eterno das ricas famílias recém-chegadas a região. Sua fachada neoclássica, com colunas de ordem dórica, recebeu duas inscrições em latim. Do lado de fora, a mensagem é dos vivos para os mortos: Requiescant In Pace (Descansem em Paz); e do lado de dentro, a mensagem é dos mortos para os vivos: Expectamus Dominum (Esperamos o Senhor). Devido ao grande número de personalidades sepultadas no local, o cemitério tornou-se famoso atraindo turistas de todas as partes do mundo… 

Aberto ao público todos os dias das 10h às 19h. 

Entrada Gratuita 🙂

Plaza Republica Oriental del Uruguay: Demarcando o limite entre os bairros Recoleta e Palermo, o local representa a boa diplomacia entre os dois países vizinhos, Argentina e Uruguai. No centro da praça encontra-se uma estátua em homenagem ao General Jose Artigas que esteve envolvido com a política de ambos os países. No monumento, abaixo da estátua, há duas figuras gravadas em alto-relevo que representam a liberdade e a federação e quatro grifos de bronze simbolizando os principais rios da região: Rio de la Plata, Rio Uruguay, Rio Paraná e Rio Paraguai

Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (MALBA): Inaugurado em 2001, com o objetivo de divulgar a arte latino-americana desde o início do século XX até os dias atuais, o local possui um acervo fixo de aproximadamente 400 obras dos principais artistas modernos e contemporâneos do continente americano. Seu edifício, construído em estilo arquitetônico desconstrutivista, foi idealizado por três arquitetos argentinos, da província de Córdoba, fundadores da empresa AFT Arquitectos…

Aberto ao público de quinta-feira à segunda-feira das 12h às 20h e quarta-feira das 12h às 21h.

Valor da entrada em junho de 2016: ARS 140,00

DICA: Toda quarta-feira  os visitantes do museu pagam meia entrada 😉

Jardín Japonês: Construído em 1967, pela comunidade japonesa local, em decorrência a visita à Argentina do então príncipe herdeiro Akihito e sua esposa Michiko, atuais imperadores do Japão. O local foi projetado seguindo os moldes de um típico parque japonês com pontes, cascatas, lagos repletos de carpas coloridas e árvores típicas da região homenageada. Em seu interior encontram-se templos e estátuas simbolizando a riqueza cultural milenar japonesa…

Aberto ao público todos os dias das 10h às 18h.

Valor da entrada em junho de 2016: ARS 70,00.

Parque 3 de Febrero: Idealizado em 1874, pelo então presidente Domingo Faustino Sarmiento, que tinha como meta a criação de um parque com padrões internacionais na cidade de Buenos Aires. O parque foi inaugurado oficialmente em 1875. Teve as suas obras finalizadas somente 58 anos depois, em 1933, sob o comando do paisagista francês Carlos Thays. Recebeu seu nome em homenagem ao dia da famosa Batalha de Caseros travada em 3 de fevereiro de 1852. Atualmente, a região do parque é popularmente conhecida como Bosques de Palermo e ocupa uma área de 40 hectares com árvores típicas da região, três lagos, um Rosedal e áreas descampadas destinadas a piqueniques e esportes coletivos…

Planetario Galileo Galilei: Inaugurado em 1967, com o objetivo de aproximar as pessoas dos princípios básicos dos conhecimentos astronômicos, recebeu o seu nome em homenagem ao famoso astrônomo italiano Galileu Galilei, responsável por descobrir as estrelas da Via Láctea. Seu edifício, obra do arquiteto Enrique Jan, possui uma estrutura singular inspirada no planeta Saturno com seus anéis. Atualmente, o local é um dos atrativos turísticos favoritos para os turistas que buscam uma opção alternativa de lazer. Cercado por uma área verde e um lago artificial repleto de patos e gansos, é o local ideal para um passeio descontraído com toda a família…

Aberto ao público de terça-feira a sexta-feira das 9h30min às 17h e sábados, domingos e feriados das 12h às 19h30min. 

Valor da entrada em junho de 2016: ARS 30,00.

Puente de La Mujer: Inaugurada em 2001, como parte do projeto de modernização urbanista financiado pelo empresário Alberto Gonzalez, membro do Grupo Madero, a ponte tornou-se mundialmente conhecida por ser a única obra presente na América Latina desenvolvida pelo famoso arquiteto espanhol Santiago Calatrava Valls. Sua estrutura teve que ser importada da Espanha devido à utilização de um tipo de aço especifico encontrado apenas naquela região. Com a aparência singular de um casal dançando tango, a Puente de la Mujer é considerada a maior ponte giratória com travessia de pedestres do mundo…

Museo Fragata Sarmiento: Construída na Inglaterra em 1897, a fragata foi o primeiro navio-escola da Argentina. Batizada em homenagem ao fundador da Escola Naval Argentina e ex-presidente, Domingo Faustino Sarmiento. Considerada uma das mais modernas embarcações da época, realizou 37 viagens ao redor do mundo entre os anos de 1889 a 1938. No ano de 1962, a embarcação foi declarada Monumento Histórico Nacional e transformada em um museu, aberto à visitação pública, com histórias das suas incríveis viagens. A Fragata Sarmiento representou o seu país de origem em diversos eventos mundiais como a coroação de Eduardo VII no Reino Unido e a abertura do Canal do Panamá…

Aberto ao público todos os dias das 10h às 19h.

Valor da entrada em junho de 2016: ARS 20,00.

Escultura Gaturro: Inaugurada em 2013, a escultura faz parte do Paseo de Las Historietas que homenageia os principais ícones dos quadrinhos argentinos. O personagem foi criado pelo artista argentino Cristian Dzwonik, popularmente conhecido como Nik, em 1993 e conquistou o gosto popular rapidamente por ser um anti-herói sonhador e observador do mundo…

Casa Rosada: Construída em 1882, sobre as ruinas da antiga Real Fortaleza de Don Juan Baltazar de Austria, com o objetivo de sediar o poder executivo da Republica Argentina. Inaugurada oficialmente em 1898, possui estilo arquitetônico eclético com grande influência francesa e italiana. Recebeu o seu nome devido à sua coloração rosada, mistura de sangue de boi com cal, escolhida pelo então presidente Domingo Faustino Sarmiento. No ano de 1942, o edifício foi declarado Monumento Histórico Nacional e, em 1996, ficou mundialmente conhecido ao servir de cenário para o filme “Evita” no qual Madonna cantou em sua sacada a imortal canção Don’t Cry For Me Argentina emocionando milhões de ouvintes. Atualmente o local abriga o Museo de Historia com objetos pessoais e peças históricas dos principais presidentes que passaram por ali…

OBS: Visita guiada todos os sábados mediante agendamento prévio com até 15 dias de antecedência através do seu site, para hora e dia selecionado. 

Catedral Metropolitana de Buenos Aires: Inaugurada em 1791, como a principal igreja católica da Argentina, no decorrer dos anos o local passou por inúmeras reformas de ampliação até adquirir a sua atual aparência, datada do início do século XX. Construída em estilo neoclássico com forte influência greco-romana como mostra seu frontão triangular e suas doze colunas frontais de ordem coríntia que representam os 12 apóstolos de Cristo. No ano de 1942, a Catedral Metropolitana foi declarada Monumento Histórico Nacional. Atualmente, o edifício abriga em suas instalações o Museo del Papa, inaugurado em 2013, após a nomeação do primeiro Papa americano, o ex-arcebispo de Buenos Aires, Papa Francisco…

Aberta ao público de segunda à sexta-feira das 8h às 19h e sábado, domingos e feriados das 9h às 19h30min. 

Mural Eva Perón: Inaugurado em 2011, pela então presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner, para homenagear o 59º aniversário de morte da lendária ex-primeira dama Eva Perón. A imagem produzida pelo artista argentino Alejandro Marmo possui 24 metros de altura e está localizada na fachada sul do edifício do Ministério de Obras Públicas. À noite, o painel ganha vida através de uma iluminação especial que atrai a atenção de todos que passam pela Avenida 9 de Julio

Dia 3:

Caminito: Este foi idealizado em 1950, por um grupo de vizinhos, liderados pelo pintor argentino Benito Quinquela Martín, que decidiram recuperar uma via de trem abandona, localizada nas redondezas, que havia se tornado um depósito de lixo. No ano de 1959, devido à iniciativa dos moradores locais, o governo municipal transformou a via em uma “rua-museu”, batizando-o com o nome de Caminito em homenagem ao famoso Tango homônimo composto por Juan de Dios Filiberto. O local tornou-se mundialmente famoso pelas suas casas coloridas de madeira construídas em estilo Conventillo, que serviam como residência para os imigrantes genoveses de baixa renda ao final do século XIX. Atualmente, ao longo da rua, encontram-se expostas inúmeras esculturas artísticas representando as principais celebridades do país…

La Bombonera (Estadio Alberto Jacinto Armando): Foi projetado pelo arquiteto esloveno Viktor Sulčič, também idealizador do Mercado de Abastos, para servir como estádio de futebol oficial para o famoso Club Atlético Boca Juniors. Inaugurado em 1940, pelo então presidente do clube Camilo Cichero, em uma partida amistosa entre o time Boca Juniors e o seu adversário San Lorenzo. Por falta de iluminação artificial, o jogo que teve o time da casa como vencedor precisou ser reduzido a dois tempos de 35 minutos para que se aproveitasse a luz natural. No ano de 1986, o local foi oficialmente batizado como Estadio Camilo Cichero, em homenagem ao presidente do clube que colocou a pedra fundamental para a sua construção. No ano de 2000, o então presidente do Clube, Mauricio Macri, decidiu homenagear o presidente que esteve há mais tempo no cargo e renomeou o local como Estádio Alberto Jacinto Armando, nome que está vigente até os dias atuais. O apelido La Bombonera, como o estádio é mundialmente conhecido, surgiu da sua aparência compacta e retangular que lembra uma caixa de bombons. Visando aproveitar o espaço ocioso presente abaixo da arquibancada, no ano de 2001, foi inaugurado o Museo de La Pásion Boquense, tornando-se o primeiro museu temático de futebol da América Latina…

Aberto ao público todos os dias das 10h às 18h.

Valor do Tour Guiado em junho de 2016: ARS 380,00 para extrangeiros. 

Calle Florida: Conhecida durante o século XVIII como Calle San Jose, a rua recebeu oficialmente seu atual nome em 1821, em homenagem a Batalha de Florida travada em 1814 contra as tropas espanholas. No ano de 1913, devido ao fortalecimento do comércio local, a rua teve o seu tráfego de veículos interrompido das 11h às 21h, tornando-se a primeira “passagem” exclusiva para pedestres da cidade. Em 1971, após a instalação das grandes galerias comerciais, o tráfego de veículos foi proibido em horário integral. Atualmente, a Calle Florida possui cerca de 1200 metros de extensão com lojas de renome internacional, cafés, casas de câmbio, bancas de jornal e os tradicionais Kioskos

Galerias Pacífico: Construída no final do século XIX, aos moldes do centro comercial Le Bon Marché Paris, com o objetivo de oferecer as últimas tendências da moda mundial. Em 1945, o local passou por reformas de melhorias e passou a abrigar em sua cúpula painéis descrevendo a realidade cultural da época, pintados por cinco artistas argentinos. Em 1989, o edifício foi declarado Monumento Histórico Nacional e, em 1992, foi reinaugurado como o mais luxuoso Shopping Mall da cidade…

Aberto ao público todos os dias das 10h às 21h.

Obelisco de Buenos Aires: Construído em 1936, como homenagem ao quarto centenário da fundação da cidade de Buenos Aires, está localizado no cruzamento da Av. 9 de Julio com a Calle Corrientes, ponto exato onde foi hasteada pela primeira vez a bandeira nacional na cidade. O monumento possui 67,5 metros de altura e foi idealizado pelo arquiteto argentino Alberto Prebisch. Atualmente, o Obelisco é considerado um dos principais cartões postais do país, servindo de palco para comemorações esportivas e manifestações populares…

Dia 4:

Zoo de Luján: Inaugurado em 1994, o zoológico ocupa uma área de aproximadamente 15 hectares e localiza-se a 58 quilômetros da cidade de Buenos Aires pelo Acceso Oeste. O local tornou-se rapidamente famoso por possuir o diferencial de permitir que seus visitantes entrem em contato físico com os animais selvagens, fato este que é criticado por muitas pessoas. Grande parte dos animais que ali se encontram, foram doados por criadores particulares ou resgatados de circos, após a assinatura da lei federal que proibiu a utilização de animais em espetáculos circenses…

Aberto ao público todos os dias das 9h às 18h30min.

Valor da entrada em junho de 2016: ARS 400,00.

DICA: A forma mais econômica para chegar ao Zoo é embarcar no o mêtro linha D até a Plaza Italia, em Palermo, e de lá embarcar no ônibus 57  ( valor 48 pesos argentinos) que segue até a entrada do zoo.

OBS: Avisar ao motorista do ônibus o seu destino, pois caso contrário ele pode passar direto. 

Jardín Vertical del Obelisco: Recém-inaugurado, em março de 2016, pelo Ministerio de Ambiente y Espacio Público como um monumento natural emblemático seguindo a tendência das principais cidades do mundo, ocupa uma área de 189 metros quadrados. O jardín vertical possui cerca de 6.300 plantas de 23 espécies diferentes. Construído em formato das letras BA, iniciais do nome da cidade de Buenos Aires, logo ganhou o apelido de “BA Verde” e tornou-se uma parada obrigatória a todos que visitam a cidade. À noite, o jardim é iluminado com lâmpadas de LED que dão um charme a mais ao novo atrativo…

Teatro Colón:Inaugurado em 1908, como um dos principais teatros do mundo devido à qualidade de sua acústica e pelo valor artístico da sua construção. Seu edifico possui estilo eclético e foi projetado pelo arquiteto italiano Francesco Tamburini. Desde a sua inauguração, o teatro sediou grandes espetáculos mundialmente reconhecidos e recebeu ilustres celebridades como, por exemplo, o cantor italiano Luciano Pavarotti, que encenou a opera La Bohème, em 1987. No ano de 1989, o teatro foi declarado Patrimônio Histórico Nacional. Atualmente, o local tem a capacidade para receber 2.478 espectadores e possui oficinas próprias para a produção de seus espetáculos…

Visita guiada ao público todos os dias das 9h às 17h, com saída a cada 15 minutos. 

Valor em junho de 2016: ARS 400,00.

Plaza de Mayo: Criada em 1580, pelo fundador de Buenos Aires, Juan de Garay, para ser a mais importante praça da cidade e o principal ponto de comercialização de mercadorias da época. No decorrer dos anos, o local foi palco de importantes acontecimentos históricos como, por exemplo, as Invasões Inglesas e a Revolução de Mayo. Em seu centro encontra-se o primeiro monumento da cidade, a Pirámide de Mayo, construída em 1811, para homenagear o primeiro aniversário da Revolução de Mayo que deu início à Guerra de Independência da Argentina. Atualmente, a população utiliza a praça para grandes comemorações, manifestações e protestos, como é o caso das famosas Madres de la Plaza de Mayo, que se reúnem toda quinta-feira à tarde, carregando lenços brancos pintados e clamando pelos mais de 30 mil familiares desaparecidos na última ditatura militar…

Palacio Barolo: Inaugurado em 1923, como a mais alta edificação da cidade de Buenos Aires e da América do Sul. O edifício foi construído em estilo eclético, pelo arquiteto italiano Mario Palanti e financiando pelo empresário têxtil Luis Barolo, tendo como referência a ilustre obra “A Divina Comédia” escrita por Dante Alighieri. O palácio foi divido em três partes que representam o “Inferno”, o “Purgatório” e o “Céu”, assim como na obra literária inspiradora. Em seu topo foi instalado um farol representando os “Nove Coros Angelicais”. Um dos principais planos de seus criadores era trasladar o corpo do escritor Dante para o interior do edifício transformando-o assim em um mausoléu para o poeta italiano, mas infelizmente não obtiveram sucesso. Cinco anos após a sua inauguração, o Palacio Barolo ganhou um irmão gêmeo na cidade de Montevideo também construído pelo arquiteto Mario Palanti. No ano de 1997, o “irmão argentino” foi declarado Monumento Histórico Nacional e, atualmente, abriga inúmeras salas comerciais e um pequeno teatro…

Visita guiada ao público de segunda-feira a sábado das 10h às 18h, com sáidas a cada 2h. 

Valor em junho de 2016: ARS 600,00. 

Plaza del Congreso: Projetada pelo arquiteto paisagista francês Carlos Thays, a praça foi inaugurada no ano de 1910, como parte dos festejos ao centenário da Revolucao de Mayo. Quatro anos após a sua inauguração, foi instalado no centro da praça o Monumento a Los Dos Congresos representando a Asemblea del Año XIII e o Congreso de Tucumán, que foram fundamentais para a declaração de independência da Argentina. No ano de 1977, a praça foi declarada Local Histórico Nacional junto com o seu magnifico “vizinho” Palacio del Congreso de la Nacion Argentina, inaugurado em 1906…

Gastronomia:

Filete de Merluza com Puré de Patatas: 

Lomito:

Asado Argentino:

Ficou curioso (a) para saber mais sobre o que aconteceu nesta incível aventura? Não perca tempo e adquira já um exemplar do Livro “Desbravando as Américas” com dicas  espetaculares e relatos pessoais do meu desbravamento rumo ao Alasca.

One thought on “Buenos Aires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *