Santos & São Vicente

Santos e São Vicente são duas cidades interligadas com um valor histórico surpreendente, além de belezas naturais de tirar o fôlego. Considero uma parada obrigatória para quem deseja conhecer mais sobre o início da colonização no Brasil.  As cidades foram o segundo destino escolhido para ser desbravado na primeira etapa do Projeto Desbravando as Américas. Estive pessoalmente em todos os atrativos turísticos descritos abaixo.
Vale ressaltar que todas as fotos tiradas foram através de um celular e, por isso, a qualidade não foi das melhores.

  • A cidade de Santos foi fundada em 1546 e é considerada a maior cidade da região metropolitana da Baixada Santista. Abriga o maior porto da América Latina e está na 5° colocação entre as não capitais mais importantes para a economia brasileira.
  • A cidade de São Vicente foi fundada em 1532 como a primeira vila fundada na América Portuguesa. Atualmente é a segunda cidade mais populosa do litoral paulista. Local onde foi instalado o primeiro engenho de cana-de-açúcar do Brasil e onde ocorreu a primeira eleição no continente americano.
  • Ônibus da empresa Viação Litorânea (Ubatuba x Caraguatatuba).
  • Tempo de viagem: 1h 40 min.
  • Valor em junho de 2015 foi de R$7,45.
  • Ônibus da empresa Viação Litorânea (Ubatuba x Caraguatatuba).
  • Tempo de Viagem: 5h 15 min.
  • Valor em junho de 2015 foi de R$54,01.
  • Couchsurfing na casa do casal João Carlos e Antônio.
  • Minha Opinião: excelentes anfitriões que fizeram questão de me buscar no terminal rodoviário e me auxiliaram com dicas sobre o que visitar em ambas as cidades.
  • OBS: Foi a minha primeira experiência de hospedagem em casa de moradores locais.

Roteiro para 2 dias - O que fazer?

Dia 1

Ilha Porchat & Monumento Niemeyer (São Vicente): local frequentado por pessoas de alto poder aquisitivo durante meados do século XX. Em sua encosta direita, esta encontra-se o Monumento Niemeyer, projetado pelo próprio Oscar Niemeyer, em homenagem aos 500 anos da cidade de São Vicente.

Teleférico de São Vicente: considerado um dos atrativos turísticos mais tradicionais da cidade. Transporta seus visitantes da praia de Itararé até o topo do morro do Voturuá a 180 metros do nível do mar. Aberto ao público das 10h às 18h.

Valor do ticket: R$30,00 (inteira).

DICA: Guarde o ticket para pagar meia entrada no passeio do bonde de Monte Serrat.

Mirante de São Vicente: localizado no topo do morro do Voturuá permite uma vista panorâmica das cidades de São Vicente e Santos.

Parque Municipal Roberto Mario Santini (Santos): chamado pelos moradores locais de “emissário submarino” é o ponto fronteiriço entre as cidades de São Vicente e Santos.

Bonde de Monte Serrat (Santos): idealizado por imigrantes espanhóis, o sistema funicular foi inaugurado no ano de 1927. Nesta época, o bondinho transportava a boemia santista para uma casa de espetáculos localizada no alto do Monte Serrat a 147 metros do nível do mar. Artistas de renome internacional como Carmen Miranda e Silvio Caldas se apresentaram no local. O bondinho parte da plataforma com intervalos de 30 minutos e tem a capacidade de transportar até 45 visitantes por viagem. Aberto ao público das 10h às 18h.

Valor do ticket: R$ 30,00 (inteira).

DICA: Apresente o ticket do teleférico de São Vicente para pagar meia entrada.

Antigo Cassino de Monte Serrat (Santos): inaugurado em 1927, era considerado o mais luxuoso ponto de encontro da alta sociedade da época áurea do ciclo do café. No ano de 1946, quando o governo federal proibiu o jogo no país o cassino teve as suas portas fechadas. No ano de 1998, após passar por grande reforma, o local foi reaberto a visitação ao público e seus espaçosos salões foram transformados em áreas destinadas a eventos sociais e culturais.

Capela de Nossa Senhora de Monte Serrat (Santos): construída em 1599, por ordem do governador espanhol Dom Francisco de Sousa. O local abriga uma imagem de Nossa Senhora de Monte Serrat, padroeira da cidade de Santos.

Catedral Metropolitana de Santos: inaugurada em 1924, a catedral possui estilo arquitetônico neoclássico e uma cúpula sobre o transepto em estilo renascentista.

Dia 2

Parque Zoobotânico e Orquidário Municipal de Santos: inaugurado em 1945, como o maior parque do gênero, ao ar livre, do mundo. Reproduz a beleza da Mata Atlântica e conta com cerca de 3.500 orquídeas de 120 espécies. Passeio ideal para toda a família. Aberto ao público das 9h às 18h (exceto segunda-feira).

Valor do Ticket: R$ 5,00 (Inteira).

DICA: O local possui convênio com o aquário de Santos e é possível comprar na bilheteria um único ticket para visitar os dois atrativos por R$8,00.

Aquário Municipal de Santos: inaugurado em 1945, como o primeiro aquário em solo brasileiro. O local conta com inúmeras espécies de animais marinhos de água salgada e doce. Passeio imperdível para quem viaja com crianças ou é um grande admirador de animais marinhos, como eu. Aberto ao público das 9h às 17h30min (exceto segunda-feira).

Valor do ticket: R$ 5,00 (inteira).

DICA: O local possui convênio com o Parque Zoobotânico e Orquidário Municipal de Santos e é possível comprar na bilheteria um único ticket para visitar os dois atrativos por R$ 8,00.

Bolsa do Café (Santos): popularmente conhecido como Palácio da Bolsa do Café, devido a sua imponente arquitetura, era o local onde a mercadoria, produzida pela elite cafeeira paulista, era comercializada durante os tempos áureos do café. Atualmente, em seu interior está instalado o Museu do Café.

Santuário de Santo Antônio do Valongo (Santos): inaugurada em 1640, é uma das mais antigas igrejas do país em estilo arquitetônico barroco.

Antiga estação ferroviária (Santos): construída em estilo arquitetônico neoclássico e inspirada na estação de trem londrina Victoria Station.

Museu do Pelé (Santos): inaugurado em 2014 para homenagear um dos maiores jogadores de futebol do Brasil.

Aberto ao publico das 11h às 17h (exceto segunda-feira).

Valor da entrada: R$10,00 (inteira).

Praça dos Andradas (Santos): popularmente conhecida como Praça dos Fotógrafos, devida a grande concentração de fotógrafos que se reuniam no local em meados do século XX.

Pantheon dos Andradas (Santos): jazido do patriarca da independência do Brasil, José Bonifácio de Andrada e Silva.

Aberto ao público das 11h às 17h.

Valor da entrada: Gratuita.

Convento do Carmo (Santos): conjunto de duas igrejas construídas em estilo arquitetônico Barroco com altares dourados.

Alfândega (Santos): local que fiscalizava o recebimento das rendas das capitanias hereditárias para a Coroa Portuguesa. Atualmente o prédio abriga a Receita Federal.

Porto de Santos: considerado um dos mais importantes portos do país, desde o período colonial.

Casa do Trem Bélico (Santos): local onde eram armazenados armas e pólvora que eram popularmente chamados de “trem-de-guerra” durante o período colonial. Atualmente funciona como um museu.

Aberto ao público das 11h às 17h (exceto segunda-feira).

Valor da entrada: Gratuita.

Outeiro de Santa Catarina (Santos): marco inicial do povoamento da cidade de Santos. Atualmente o local abriga a Fundação Arquivo e Memória de Santos.

Aberto ao público das 11h às 17h (exceto segunda-feira).

Valor da entrada: gratuita.

Bonde turístico (Santos): principal meio de transporte de passageiros no inicio do século XX. Atualmente realiza passeios turísticos pelo centro histórico da cidade de Santos.

Aberto ao público das 11h às 17h.

Valor do passeio: R$ 7,00 (inteira).

Praça da Biquinha: local onde o Padre José de Anchieta catequizava os índios da região. Durante os primeiros séculos da colonização foi a principal fonte de água da cidade.

Quer saber mais sobre o que aconteceu nesta incível aventura? Não perca tempo e adquira já o livro “Desbravando as Américas Etapa 1- As Aventuras de um Mochileiro do Rio de Janeiro à Montevideo“.

One thought on “Santos & São Vicente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *