Joinville

Joinville é uma cidade com uma riqueza histórica e cultural surpreendente. Caminhar por suas ruas arborizadas observando as fachadas das antigas casas, em estilo colonial, já faz visita à cidade valer a pena. Só não esqueçam de levar o guarda-chuva, pois o clima na cidade é propício a mudanças o tempo todo. A cidade foi o sétimo destino escolhido para ser desbravado na primeira etapa do Projeto Desbravando as Américas. Estive pessoalmente em todos os atrativos turísticos descritos abaixo.

Vale ressaltar que todas as fotos tiradas foram através de um celular e, por isso, a qualidade não foi das melhores.

  • A cidade de Joinville foi fundada no ano de 1851.
  • É considerada a maior cidade do estado de Santa Catarina e a terceira cidade mais populosa da região Sul do Brasil.
  • Segundo estudos, Joinville é considerada a segunda melhor cidade para se viver no Brasil.
  • A cidade é sede do maior festival de dança do mundo, o Festival de Dança de Joinville. 
  • Grande parte dos  imigrantes europeus que colonizaram a cidade eram de desencendência alemã. 
  • A cidade possui a maior população de afrodescendentes do estado de Santa Catarina. 
  • A cidade é o 3° maior polo industrial da Região Sul do Brasil e o maior polo metalúrgico do país.  
  • Joinville é popularmente conhecida como: Cidade das Flores, Cidade dos Príncipes, Cidade das Danças, Cidade das Bicicletas e Manchester Catarinense. 
  • Ônibus da empresa Viação Catarinense (Foz do Iguaçu x  Joinville):
  • Tempo de Viagem: 13h
  • Valor em junho de 2015: R$ 116,00
  • Couchsurfing na casa da Deysi. 
  • Minha Opinião: Excelente anfitriã, muito divertida e apaixonada por cervejas. Trocamos experiências de viagens e muitas risadas. Fomos a um Pub chamado Palácio Snooker Pub para assistira a apresentação de uma banda de rock local muito boa. No mesmo local, conheci outra  anfitriã da cidade, chamada Aline, que era muito gente boa. No dia seguimos ela nos levou para comer o melhor pastel da região. Obrigado a vocês duas pela diversão, pelos passeios e pelas trocas de experiências.

Roteiro para 3 dias - O que fazer?

Dia 1: 

Museu Nacional de Imigração e Colonização: Inaugurado em 1957, com o objetivo de guardar as memórias, objetos e artefatos históricos relacionados à imigragação da Região Sul do Brasil. O prédio que abriga o museu, contruído no ano de 1870, foi declarado Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1939. Aberto ao público das 9h às 17h. 

Entrada Gratuita. 

DICA: Não é permitido fotografar no interior do museu. 

Alameda Brüestlein (Rua das Palmeiras): Contruída em 1873, com o objetivo de ser o jardim de entrada da sede administrativa da Côlonia Dona Francisca. O local conta com 52 palmeiras imperiais que foram importadas do Jardim Botânico da cidade do Rio e Janeiro.

Catedral Diocesana São Francisco Xavier: Construída entre as décadas de 1960 e 1970, em estilo arquitetônico modernista, apresenta duas grandes cúpulas, em formato de conchas, que representam as mãos de Deus dando cobertura para as ações da Igreja na Terra. 

Museu Arqueológico de SambaquiInaugurado em 1972, o museu é referência na preservação do patrimônio arqueológico brasileiro e na produção de conhecimento sobre povos construtores de sambaquis, que viveram na região há mais de 5 mil anos. Aberto ao público das 10h às 16h (exceto segunda-feira)

Infelizmente fechado para reformas 🙁

Dia 2: 

Museu da Bicicleta: Inaugurado em 2000, como parte das comemorações aos 150 anos da cidade de Joinville, que popularmente é conhecida como a “Cidade das Bicicletas”. O museu conta com um acervo de aproximadamente 16 mil peças e recebe visitantes de diversas partes do mundo, pois é o único museu do gênero situado na América do Sul. Aberto ao público das 9h às 17h (exceto segunda-feira).

Entrada Gratuita. 

Estação da Mémoria: Situada no prédio da antiga Estação Ferroviária de Joinville, inaugurada em 1906, conta a história da região de forma dinâmica e interativa. No ano de 2008, o prédio foi declarado Patrimônio Arquitetônico Brasileiro pelo IPHAN. Aberto ao público das 9h às 17h. 

Entrada Gratuita. 

Escola do Teatro Bolshoi: Inaugurada no ano 2000, trata-se da única escola do conceituado Teatro Bolshoi localizado fora da cidade de Moscou, na Rússia. A escola visa a formação de artistas da dança, ensinando a técnica de balé segundo a metodologia Vaganova, dança contemporânea e disciplinas complementares. Todos os alunos da instuição contam com uma bolsa de estudos de 100%. Uma Seleção acontece todos os anos para o ingresso de novos bailarinos. Visitação guiada de segunda-feira à sexta-feira às 10h e às 14h30min. Duração: 1h 30min.

Valor da entrada: R$ 4,00 (inteira)

Dia 3:

Centro de Convenções e Exposições Expoville: Inaugurado em 1972, com o objetivo de sediar feiras e grandes eventos da região. Atualmente o local conta com auditórios, um pequeno centro comercial, restaurantes, estacionamento e um parque com lagos artificiais. 

Entrada Gratuita.

Pórtico de Entrada da cidade de Joinville: Inaugurado no ano de 1979, é considerado o  principal cartão postal da cidade. Em seu entorno, encontram-se o Moinho, construído em homenagem a cultura europeia que colonolizou a região, e o tradicional Restaurante Portico Opa Bier

Quer saber mais sobre o que aconteceu nesta incível aventura? Não perca tempo e adquira já o livro “Desbravando as Américas Etapa 1- As Aventuras de um Mochileiro do Rio de Janeiro à Montevideo“.

One thought on “Joinville

  1. Férias de 2008, estava num ónibus indo de Curitiba para Floripa quando ao parar na rodoviária de Joinville me deu uma vontade danada de ter ao menos uns 30 min para ter uma ideia dessa convidativa cidade em função do que vi apenas na chegada. Hoje tive essa oportunidade através dos teus relatos e fotos. Valeu Wallace Soares. Um dia visitarei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *